quarta-feira, 18 de maio de 2011

Não há Estrelas no Céu

     

         Em noites nubladas ou límpidas, é difícil perscrutar os céus com atenção. As luzes das cidades obnubilam e escondem o brilho dos pontinhos coloridos.

Para mim existe uma estrela na terra. Um Estrela, para ser mais exacto. E marcou de tal forma a minha vida, e é tão importante para mim, que dei o seu primeiro nome ao meu filho. E cada um à sua maneira, tornaram-se na constelação que rege a minha vida. Um, porque me ensinou a ser adulta, responsável e trabalhadora e me ensinou o valor do trabalho, o que é bastante mais significativo do que se me tivesse deixado uma herança em testamento. Pois se deixamos que o trabalho nos escape hoje, quem nos diz que amanhã, quando o buscarmos, ele não nos fugirá? E mesmo assim não é certo. O outro, porque me converteu em mãe e preencheu os meus dias com sorrisos e pintou os meus dias de ouro. Cada dia é precioso, e até as noites insones são importantes pois são mais uma etapa nesta grande missão.

            Meu pequenino, meu bebé, estás a crescer e a tornar-te um rapazinho traquinas, criado no amor ao próximo e com amor pelos animais. És a estrela mais brilhante da minha constelação, aquela que me rege e guia na minha vida.

1 comentários:

Luar disse...

Lindo mãe

Quem ama cuida! E tu desde menina que foste bem cuidada por alguém que apesar de não te dar tudo de mão beijada, te deu os valores para a conquista. Bem haja quem te ensinou a ser uma lutadora, bem haja quem partilha a vida contigo e te faz feliz. Bem haja a estrela mais brilhante da nossa constelação.
Porque desse não abdico do meu papel que considero muito importante... o meu Amor por ele!

Beijinhos vulcão da natureza!

Enviar um comentário