terça-feira, 9 de agosto de 2011

Apertar o cinto



Numa altura em que tanto se fala em apertar o cinto, descobre-se que não sei quantos personalidades públicas pediram reformas milionários, ultrapassando os pedidos do ano passado em 53%. Isto estaria tudo muito bem se estivéssemos a falar da República das Bananas, ou pelo menos de um país rico e sem problemas de dívidas ou do que quer que seja. Um país onde os reformados têm reformas decentes, que lhes permitam levar uma vida digna após uma vida de sacríficio.

MAS AFINAL DESCOBRE-SE QUE UM PAÍS FALIDO E ONDE SE PODE ATRIBUIR REFORMAS DE 200 EUROS ATRIBUI LIVREMENTE REFORMAS DE 5000 EUROS A QUEM AINDA ESTÁ NO ACTIVO!!!

Eu sei que tenho um mau feitio terrível, mas reformas milionárias destas não constitui um afronto à pobreza?!

Onde andam afinal as medidas iguais e o apertar de cinto para os políticos?! As promessas deles não valerão mesmo uma casca de alho???

(Claro que não... raio de pergunta a minha!!!)

É de lamentar que gestores de empresas falidas continuem a levar para casa ordenados chorudos com prémios (não sei bem de quê mas de produtividade não deve ser uma vez que a empresa não gera lucro) e que depois peçam reformas milionárias por não terem feito nada a vidinha toda, enquanto o desgraçado que se mata a trabalhar por 500 euros depois nem a reforma vai ter direito!!!

Não fomos nós que fizemos a crise mas somos nós que a temos de pagar! E eu, com este mau feitiozinho que já me conhecem, respondo: quando não estou satisfeita com qualquer coisa, reclamo ou devolvo à proveniência. Como estou farta de reclamar e ninguém os quer de volta, estou a pensar seriamente em recambiá-los para Londres para ajudar a apagar o fogo. Qualquer merda serve e sempre se poupa a vida aos soldados da paz. Pelo menos esses devem ter mãezinhas com orgulho neles...

1 comentários:

Luar disse...

Xi...a coisa está feia por estas bandas. lol

Enviar um comentário